Buscar
  • Alexandre Costa

COMITÊ COMPLETA QUATRO ANOS DE EXISTÊNCIA E INTENSIFICA ATIVIDADES DURANTE A PANDEMIA DO COVID-19


Em função do isolamento social e das iniciativas para combater o avanço do coronavírus, o Comitê intensificou sua atuação por meio de parcerias e do trabalho coletivo junto aos movimentos sociais, tendo como objetivo prestar atendimento às comunidades carentes e pressionar as autoridades públicas para garantir a sobrevivência do maior número possível de pessoas. Além de organizar um fundo financeiro destinado a campanhas de combate à fome, o Comitê teve participação fundamental na elaboração do Manifesto Pelo Combate à Pandemia da Covid-19 que Proteja toda a População Brasileira e da Carta Aberta ao Governador e aos Prefeitos do Rio Grande do Sul.


Hoje, sexta-feira (17/4), a partir das 18 horas, o Comitê promove um debate com a participação do neurocientista Miguel Nicolelis e do ex-governador Tarso Genro. Em tempos de coronavírus, o tema em discussão é atual e instigante: "Pandemia e pós-pandemia, um reforço das desigualdades existentes ou o início de um novo pacto social?". O Comitê convidou o jornalista e escritor Fernando Morais para fazer a mediação do debate, que também será transmitido pelo https://nocaute.blog.br/.



A atividade marcará o lançamento do site www.comiteemdefesadademocracia.com e dará início a um novo ciclo de discussões organizadas pelo Comitê: "Debates Mensais Sobre Conjuntura Política". O Comitê já vem promovendo "Debates Mensais sobre Conjuntura Econômica", atividade realizada em parceria com o CEAPE - Sindicato (Sindicato dos Auditores Públicos Externos do Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul).



ATUAÇÃO POLÍTICA O Comitê em Defesa da Democracia e do Estado Democrático de Direito teve participação fundamental na elaboração do Manifesto Pelo Combate à Pandemia da Covid-19 que Proteja toda a População Brasileira e da Carta Aberta ao Governador e aos Prefeitos do Rio Grande do Sul.


O Manifesto foi assinado por 191 entidades e movimentos da sociedade civil e denunciou a inércia e as ações irresponsáveis da atual Presidência da República diante da pandemia do coronavírus. O documento apresentou uma lista de medidas emergenciais para a proteção dos trabalhadores, das empresas e da população, com ênfase nos segmentos socialmente mais vulneráveis, bem como defendeu a criação de uma Comissão de Salvação Nacional, formada pelos governadores dos estados e prefeitos dos maiores municípios do país e por lideranças políticas e da sociedade civil.

A Carta ao Governador e aos Prefeitos do RS foi assinada por 106 entidades da sociedade civil e ressaltou a importância das ações que até então haviam sido tomadas em relação ao isolamento social da população. A Carta solicitou a adoção de medidas urgentes de proteção dos trabalhadores das áreas essenciais e de higienização dos veículos de transportes públicos, de empresas de transporte individual (“aplicativos”) e de vias e praças públicas.


CAMPANHA DE COMBATE À FOME

A realidade imposta pela pandemia trouxe consigo um outro drama para os mais pobres e necessitados no país: a fome. E, assim como o coronavírus, a fome invadiu sorrateiramente a vida de milhões de brasileiros. Para reduzir o impacto causado pela pandemia, o Comitê em Defesa da Democracia e do Estado Democrático de Direito organizou algumas iniciativas para arrecadar dinheiro e comprar alimentos para grupos de pessoas que se encontram em situação de vulnerabilidade social. O Comitê lançou um vídeo para divulgar a campanha de combate à fome. Os interessados em contribuir podem entrar em contato pelo site www.comiteemdefesadademocracia.com ou pelo email emdefesadademocracia2019@gmail.com.

De acordo com o cientista político Benedito Tadeu César, um dos coordenadores e fundadores do Comitê, o grupo decidiu destinar um valor mensal para as ações emergenciais. “O Comitê dispunha de uma reserva financeira e decidimos comprar cestas básicas e produtos de limpeza e higienização. As cestas foram entregues para a Associação Caminhos das Águas, que trabalha com as catadoras e catadores, localizada na Rua Voluntários da Pátria, no centro de Porto Alegre”, relatou Benedito.


A iniciativa, segundo ele, foi fruto de discussões coletivas e do entendimento que a pandemia e o isolamento social continuará por alguns meses e, por isso, o Comitê deliberou que a contribuição será renovada enquanto a pandemia persistir. “Diante da omissão e da irresponsabilidade das autoridades públicas federais, principalmente do presidente da República e do seu ministro da economia que não implementaram até agora medidas efetivas de socorro à população mais necessitada de auxílio para superar a crise decorrente da pandemia do Covid 19, resolvemos nos cotizar e socorrer, dentro de nossas possibilidades, algumas pessoas/famílias”, explicou.


110 visualizações5 comentários